Sua empresa tem visão de futuro? Uma pergunta como essa é ampla e difícil de responder. Um dos entendimentos a respeito da visão de futuro é a definição de bons indicadores de gestão.

Empresas que baseiam sua atuação em indicadores de gestão sólidos têm mais condições de evoluir. Nesse caso, podemos interpretar a evolução como visão de futuro, pois quem não enxerga à frente fica estagnado.

O medo da mudança

Mudança representa ruptura. Isso vale para o ambiente corporativo e para decisões pessoais. Uma dificuldade recorrente entre empreendedores é se libertar das amarras que travam as mudanças. Muitos hesitam em sair da zona de conforto por temer um tombo mais à frente.

O medo da mudança é uma questão real em diversos mercados. Líderes de visão encaram isso como uma oportunidade. Se as outras empresas temem que esse “salto de fé” dê errado, o seu negócio pode se tornar a referência em inovação.

O maior desafio é mudar de forma consistente para converter a mudança em evolução. Para isso, é fundamental ter bons indicadores de gestão.

Michael Phelps: visão de futuro e a busca por centésimos

O supercampeão Michael Phelps é um bom exemplo de que a visão de futuro aliada a indicadores consistentes vale ouro. Por vezes, o crescimento é lento e gradual, mas você deve perceber que está saindo do lugar.

Como fazer isso? Com uma unidade mínima de medida.

Michael Phelps sempre fez isso muito bem. Seu indicador de gestão da própria carreira foi o centésimo de segundo. A cada novo centésimo que ele superava, mais um tijolo era adicionado à sua evolução. Esse centésimo de segundo pode parecer pouco, mas é o tempo que separa alguém de um sonho olímpico, e é muito significativo!

No caso de Phelps, a obsessão por resultados o levou a um desenvolvimento próximo da perfeição. Buscar cada centésimo era o trampolim do nadador para desenvolver técnicas mais apuradas. Ou seja, ele tinha um indicador de gestão muito claro e precisava encontrar caminhos para alcançar o resultado esperado.

Encontre o seu próprio centésimo de segundo

Indicadores de gestão variam de acordo com a empresa e com o mercado em que atua. O exemplo de Michael Phelps é inspirador porque mostra como a estagnação não deve ser opção.

O foco permanente na evolução é o que leva empresas a se destacarem em relação às concorrentes. Com um bom planejamento, sua equipe poderá detectar os pontos a serem explorados em direção a esse novo patamar.

O grande desafio é detectar qual é o centésimo de segundo da sua empresa, qual indicador vai levá-la mais longe.

A adaptação do meu próprio negócio

A necessidade de mudar para evoluir também impactou os meus negócios. Em minhas academias, havia muitas piscinas olímpicas, pois o foco estava no alto rendimento. Acontece que o mercado muda e as empresas devem se adaptar e antecipar tendências.

Com o passar do tempo, passamos a incorporar a ideia de educar por meio da natação. Isso redirecionou nosso foco para as crianças e, por consequência, as piscinas olímpicas deram lugar a piscinas de dimensões menores.

Essa transformação – que rendeu resultados positivos – foi possível também graças a nossos indicadores de gestão aliados à visão de futuro. Quando eu e minha equipe paramos para refinar o planejamento, percebemos que a evolução estava nesse novo foco.

Quer saber mais sobre indicadores e visão de futuro?

O bom uso dos indicadores de gestão está entre os assuntos abordados em minha nova palestra sobre empreendedorismo. Se você é um líder que busca inovar, aproveite para conhecer mais a respeito da palestra. Neste link, conto mais sobre os temas tratados ao longo da apresentação e disponibilizo um formulário de inscrição. Confira!