Você já parou para pensar em quantos desafios um gestor tem de enfrentar em sua rotina? Planejar, executar, se relacionar com clientes e fornecedores, gerenciar a equipe… Esses são apenas alguns dos desafios do gestor.

Dentre uma série de obstáculos a serem vencidos, quero chamar a sua atenção para mais um ponto importante: o conflito de gerações. Muitas empresas, aliás, têm demonstrado dificuldade em lidar com esse problema – bastante comum, por sinal.

A linguagem de uma pessoa de 20 anos é diferente da linguagem de alguém 10 anos mais velho. E um dos desafios do gestor é, justamente, construir pontes entre os colaboradores para que a empresa não seja vítima de eventuais conflitos.

As gerações estão cada vez mais complexas

Não é de hoje que a comunicação entre pessoas de idades muito diferentes começou a ter ruídos. Mas nós chegamos a um estágio em que as gerações se tornaram mais complexas, o que leva a mais conflitos.

A geração Y, composta por pessoas nascidas entre 1980 e 1990, se adaptou aos meios digitais. Já a geração X, que abrange os nascidos entre 1961 e 1979, pode ter encontrado mais dificuldade para se adaptar à realidade digital.

Mas quando observamos a geração Z (de 1990 a 2010), percebemos como as crianças e jovens de hoje são ultraconectados e adotam comportamentos diferentes do que estávamos acostumados. Tem uma dúvida? O Google responde. Quer falar com alguém? Manda um WhatsApp.

Como os conflitos acontecem

O recorte das gerações X, Y e Z demonstra como perfis muito diversos convivem atualmente. No ambiente profissional, esse gap de idade tem se revelado uma incubadora de conflitos.

Um exemplo: uma pessoa mais experiente demora a concluir uma entrega e o mais jovem entende isso como lentidão excessiva. Por sua vez, o profissional mais velho enxerga pressa nesse dinamismo e teme que os resultados sejam comprometidos.

Esse é apenas um caso que pode acontecer em vários segmentos empresariais. Quando pessoas de gerações diferentes têm de atuar em equipe, as particularidades de cada perfil podem ser um problema.

Gerações diferentes estão fadadas a esse enfrentamento?

É muito difícil uma empresa se manter competitiva quando seus funcionários transformam o ambiente de trabalho em ringue. Não cabe ao gestor avaliar quem está provocando a briga. Sua iniciativa deve ter caráter preventivo.

O diálogo é um instrumento poderoso na gestão de pessoas. Então, faça bom uso dele. Procure conversar individualmente com os membros da equipe para identificar suas virtudes e defeitos. Com aqueles que aparentam maior propensão ao conflito, vale a pena fazer uma abordagem mais clara e procurar apontar qualidades em colegas com muita discrepância de idade.

Para alguém muito jovem, diga como essa pessoa pode aprender com a experiência dos mais velhos. O contrário também é verdadeiro: um colaborador com mais anos de casa deve entender que o vigor dos novatos faz bem à empresa.

Utilize esse aprendizado com seus clientes

Os desafios do gestor em relação às diferentes gerações não se resumem a seus funcionários. No relacionamento com os clientes, procure se comunicar adequadamente com cada um dos perfis que sua marca atende.

Esse entendimento por parte do empreendedor faz toda a diferença para o sucesso de um negócio. Por isso, na comunicação com as novas gerações, procure abraçar as novas tecnologias.

O consumidor mais jovem quer perceber que as marcas que ele consome estão ligadas nas mudanças que acontecem no mundo. E não é só isso. Para impactar essa turma, você e sua empresa precisam estar onde eles estão, ou seja, devem ter uma boa presença digital.

Aprenda a superar todos os desafios do gestor

Administrar conflitos de gerações é apenas um dos desafios do gestor. Em minha nova palestra sobre empreendedorismo, contarei a você quais são os outros desafios e como superá-los.

Quer saber mais a respeito? Então é só clicar neste link para conhecer mais temas abordados por mim durante a palestra.

Ao final da página – no mesmo link –, há um formulário de inscrição para você se cadastrar.